Twitter Revista Staff   Facebook Revista Staff   Youtube Revista Staff
 

Saúde

   

Escrito por Revista Staff

Alerta sobre anfetaminas

O termo "anfetamina" identifica um grupo de substâncias quimicamente aparentadas, todas elas produzindo os mesmos efeitos psicológicos e comportamentais. Cada droga desse grupo é um psicoestimulante, ou seja, aumenta a atividade cerebral. Ao contrário de muitas outras drogas frequentemente utilizadas para fins indevidos, a anfetamina não existe livremente na natureza, só pode ser produzida em laboratórios químicos.

Originalmente sintetizada em 1887 por um cientista alemão, a anfetamina permaneceu esquecida até a década de 1930, quando foi considerada útil para o tratamento da congestão pulmonar. A essa altura, os poderosos efeitos estimulantes da anfetamina, quando ingerida, ainda eram desconhecidos.

Nos anos 50, a produção da droga cresceu explosivamente, seu uso espalhou-se pelos EUA e chegou ao Brasil. Era vendida como remédio para o tratamento de obesidade, narcolepsia e depressão, mas as pessoas a tomavam principalmente para aumentar a energia, espantar o sono e melhorar a disposição.

Alguns efeitos

A anfetamina aumenta a atividade física e produz inquietação na maioria dos indivíduos. O usuário torna-se agitado e incapaz de permanecer sentado. Se confinado a um pequeno aposento, aparenta ansiedade por se sentir restrito a uma área reduzida e pode insistir em sair. Geralmente, um estudante que toma anfetaminas para estudar ou realizar um trabalho até tarde da noite, ainda se sentirá desperto após concluir a tarefa, passando então a procurar formas de dispender energia. Pessoas sob o efeito de "bolinhas" costumam repetir gestos simples como tamborilar com um lápis em uma garrafa, escovar insistentemente os sapatos ou ficar jogando uma bola contra um muro. Para manterem-se em atividade elas podem, por exemplo, montar e desmontar seguidamente um quebra-cabeça. Podem coçar a cabeça ou a roupa a ponto de ferir-se ou furar a peça.

"Bolinhas" também levam o usuário a falar incessantemente sobre os mais excêntricos assuntos. A princípio ele parecerá estar excitado, mas poderá falar com tal rapidez que se torna difícil compreender o que diz. Ele poderá pular de um assunto a outro até que a conversa deixe de fazer sentido – e continuará falando até ser interrompido.

Os efeitos mais comuns da estimulação cerebral por anfetaminas são euforia, reações mais rápidas e aumento da autoestima e da autoconfiança. A pessoa sente-se então menos cansada e com o raciocínio mais claro. Esse é um dos motivos pelos quais os estudantes tomam "bolinhas" em época de exame. No entanto, embora o usuário pense que seu desempenho melhorou, sua atividade mental na verdade se reduziu. Sob a influência da droga, uma pessoa sente-se melhor a respeito de tudo. Os estudantes costumam ficar desapontados quando os resultados não correspondem às suas expectativas.

As "bolinhas" apenas melhoram o desempenho em tarefas simples e tediosas, que não exigem muito raciocínio, tais como juntar e grampear folhas de papel, trabalhos desse tipo podem ser feitos mais rapidamente e com menos cansaço após se tomar anfetaminas.

É importante lembrar sempre que as anfetaminas reduzem o desempenho em qualquer trabalho que envolva raciocínio e criatividade.

Efeitos da anfetamina no coração e nos vasos sanguíneos

Os efeitos da anfetamina sobre o coração e os vasos sanguíneos dependem da dose tomada. Após pequenas doses (5 mg) a pressão sanguínea se eleva. Essa elevação é registrada pelo cérebro que envia sinais ao coração para bater mais devagar. Doses de anfetamina maiores (25 mg) agem diretamente sobre o coração, aumentando o ritmo e a força das contrações. Podem ocorrer disritmias cardíacas. Doses extremamente altas podem causar danos permanentes nos vasos sanguíneos que irrigam o coração.

Outros efeitos da anfetamina

A anfetamina também pode causar dilatamento das pupilas, boca seca, aumento do ritmo respiratório e do uso das reservas de energia do organismo. Muitos consumidores de "bolinhas" usam dia e noite óculos escuros. As pupilas dilatadas às vezes provocam visões manchadas.

Psicose provocada por anfetamina

A mais extrema manifestação de intoxicação por anfetamina é um estado paranóide chamado de "psicose anfetamínica". Durante essa fase, o indivíduo passa a suspeitar de todo mundo e imagina que as pessoas estão preparando armadilhas para pegá-lo ou matá-lo.. Está fisicamente exausto e aparenta confusão mental. A qualquer momento pode tornar-se violento e agredir fisicamente a si mesmo ou a quem estiver por perto.

O indivíduo que está intoxicado por anfetamina não se convence de que a droga é responsável por suas percepções. O delírio de perseguição que ele apresenta assemelha-se ao observado na esquizofrenia. Outros aspectos comportamentais da psicose anfetamínica incluem um estado de alerta constante, curiosidade e medos incontroláveis.

A Anfetamina é uma droga sintética que causa considerável estimulação do cérebro. Houve época em que chegou a ser recomendada para uma grande variedade de problemas de saúde. Hoje, entretanto, os únicos três usos terapêuticos reconhecidos são o tratamento da obesidade, da hipercinesia em crianças e da narcolepsia. Abusa-se da anfetamina devido a seus potentes efeitos psicológicos: ela produz euforia, aumenta a autoestima, a autoconfiança.e a vivacidade.

O uso prolongado de "bolinhas" pode resultar em prejuízos permanentes para o cérebro e outros órgãos do corpo humano.


Notícias relacionadas

Pneumonia: uma doença grave


Pneumonia é uma doença inflamatória no pulmão.

A Pele e o Sol


Curta o verão com muito mais proteção.

Reabilitação oral para a 3º idade.


Tratamento Odontológico para Pacientes da 3ª Idade: Um Investimento em Qualidade de Vida!!

Acabe de vez com o cansaço.


21 atitudes para equilibrar sua fonte de energia e deixar de lado aquele desânimo...

Dores que não podem ser menosprezadas.


As dores são um alerta do organismo sinalizando que algo não vai bem com ele. Muitas vezes preferimos pensar que vão passar...

Os primeiros sinais da depressão.


Dor de barriga, nas têmporas, nas costas: esses podem ser os primeiríssimos sinais de que alguém está prestes a mergulhar de cabeça em um quadro depressivo, alertam os médicos...

Alcoolismo: Alto risco


O álcool é a droga mais antiga, há provas arqueológicas do uso da bebida datadas de quase oito mil anos. Acredita-se que..

Dores nas costas.


É só a temperatura baixar que começam as primeiras alterações pelo corpo. Garganta raspando, nariz com coriza, pele ressecada e dores musculares por..

Controle da pressão


Todo ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) elege um tema para ser discutido no Dia Mundial da Saúde (7 de abril). Em 2013, o tema escolhido foi relativo...

O papel da Hidroterapia na saúde


Muitos são os recursos fisioterápicos encontrados pelos pacientes, alguns cobertos pelos planos de saúde e outros não, por entenderem estes como terapias alternativas. As universidades tem implantado cada...

Desenvolvimento da Linguagem


Não há etapas rígidas para o início e o término do desenvolvimento da linguagem. Por volta de um ano surgem as primeiras palavras, geralmente mãmã e pápá, entre outras monossilábicas como ké, dá, tó, não, é...

Sal Grosso


"E você pensou que era só misticismo? É não, veja!"

Comentando a Andropausa.


É importante dizer que poucos são os homens que sabem da sua existência e que procuram auxilio médico para transitar por este período tão importante da vida masculina...

O que é a Medicina QUÂNTICA?


O Universo é composto por uma massa de radiações, formada de partículas atômicas, subatômicas e eletromagnéticas, as quais são animadas por um movimento contínuo, que é o responsável pelo processo de criação e de desintegração da matéria...


> Ver todas



Voltar
Twitter Revista Staff

Acontece   |   Beleza e Estética   |   Comportamento   |   Gastronomia   |   Nutrição   |   Moda   |   Política Saúde   |   Esporte   |   Turismo


Home   |   Apresentação   |   Editoriais   |   Comercial   |   Parceiros   |   Vídeos   |   Cobertura Vip   |   Contato


Copyright © 2017. Revista Staff. Todos os direitos reservados. Contato: (19) 3236-6661